Review de “Stage Fright”

Episódio 03 – “Stage Fright”
Escrito por
Maurissa Tancharoen e Jed Whedon
Realizado por
David Solomon
Actores convidados:
Amy Acker,  Reed Diamond, Miracle Laurie, Jaime Lee Kirchner, Graham Norris, entre outros.

E chegámos terceiro episódio de Dollhouse, Stage Fright, que foi escrito por Maurissa Tancharoen e Jed Whedon. As expectativas são altas, porque, embora nem seja sempre muito coerente como um todo, a série mostra muito potencial e, claro, porque este episódio foi escrito por dois dos argumentistas de Dr. Horibble’s Sing-Along Blog.

Adianto já que o episódio não cumpre as expectativas. A verdade é que até foi um passo atrás em relação a The Target. Comecemos a análise. Para uma abordagem mais clara, embora todos os enredos estejam relacionados e se cruzem muito bem entre si, vamos dividir o episódio em três: o enredo de Paul Ballard, a missão da semana e os acontecimentos que se passam na Dollhouse.

espaço

A investigação de Paul Ballard

Paul Ballard (Tahmoh Penikett), que anda completamente às cegas no que diz respeito à Dollhouse (se não fosse o homem nu que apareceu no fim do Ghost, que supomos ser Alpha embora não exista nada que o prove até agora, o pobrezinho não tinha nada) vai mais uma vez falar com o Lubov (Enver Gjokaj). Ele não sabe de nada. Novidade. Mas depois lembrou-se! Suspeito. E, surpresa das surpresas, Lubov não é Lubov, Lubov é Victor, um Active. Quem, como eu, leu o guião de Echo ou simplesmente viu o primeiro trailer da série já sabia isto. Aliás, bastava olhar para a foto do elenco e era a primeira coisa que nos saltava aos olhos.

Assim, e graças à dica do seu “amigo”, o inteligente Paul Ballard vai a uma garagem de um antigo hotel sozinho à espera de encontrar raparigas prontas a ser traficadas. Calma aí! Foi só a mim que isto soou extremamente estúpido? Que raio de agente do FBI anda, sem parceiro, a investigar um caso supostamente perigoso e entra num sítio daqueles sozinho. O que é que ele esperava fazer sozinho? Armar-se em Alpha, eliminar os maus e salvar o dia às donzelas indefesas? E a máfia russa iria eliminar um agente federal sem mais nem menos? Muito. Pouco. Credível. No entanto, ao menos saboreámos um bom espectáculo de porrada. Já não é nada mau.

Mas ainda não chegámos ao fim. Ainda falta falar de Mellie (participação de Miracle Laurie). Senhora essa que tem o papel mais inútil do episódio, e estou a contar com as cantoras de fundo do palco. Eu simplesmente ainda não percebi o que é que a mulher anda a fazer. É o par romântico de Paul? É a vizinha coscuvilheira? Estará de alguma forma envolvida com a Dollhouse? Será um Active (esta pergunta vai ser feita sobre todas as personagens da série de agora em diante)? Não me admirava muito. Só nos resta esperar. Por agora, a mulher limita-se ao hall do prédio a oferecer restos a Paul ou a encontrar-se com Actives que têm a personalidade de chefes da máfia russos.

espaço

A missão da semana

Na missão da semana, Echo (Eliza Dushku) vai fazer de cantora de fundo de palco e de guarda-costas inato ao mesmo tempo. De salientar que ela não consciência da segunda. Não gostei muito da missão. A verdade é que podiam ter feito muito melhor com este tema, que nada tem de original diga-se de passagem. Mas, como todos sabemos, o que conta é a abordagem. O problema é que a abordagem não foi a melhor. Uma coisa que gostei muito foi o fã psicopata (participação de Graham Norris excelente actor, já agora) e sinto que podiam ter usado muito mais este ângulo, em vez de perder tempo com os sentimentos da diva com tendências suicidas (Jaime Lee Kirchner).

O enredo da missão em si também foi bastante mal estruturado. Houve bons momentos de acção e o climax foi óptimo, mas também houve momentos em que o espectador só podia render-se ao bocejo de tão parados ou desinteressantes que eram. Salvou-se o fim em que Echo usou a diva com tendências suicidas como moeda de troca. Adorei. No entanto, tenho pequena dúvida. O que raio esteve Sierra (Dichen Lachman) a fazer durante a missão? Segundo Adelle ela afastou o fã psicopata da diva com tendências suicidas de modo a afastá-la do perigo, mas pareceu-me que ela foi mas é raptada e, se não fosse Echo, ela estaria ainda mais tabula rasa do que é suposto num Active, que é o mesmo que dizer morta.

Esta missão leva-nos a um assunto bastante interessante: o facto de Echo conseguir inovar com aquilo que lhe é programado, à semelhança de Alpha. Isso podia levar-nos a questionar a eficácia da Dollhouse mais uma vez, mas é-nos levado a crer que isso só acontece, por agora, com três Actives: Alpha, Echo e Sierra. E só afecta as missões em dois deles. Echo melhora a sua capacidade e isso normalmente ajuda a missão e parece que isso também acontecia com Alpha, isto é, até ele se revoltar.

espaço

Um Active ou um profissional?

Um assunto também bastante discutido pelos fãs é a utilidade de um Active. Porque não contratar apenas um profissional? Se no caso de um negociador isso não era bastante evidente, ou mesmo nada lógico, nos casos que se seguiram notou-se que podia ser útil: numa missão de sexo o Active ama-nos e uma prostituta não, numa missão de assassinato o Active não se vai lembrar do acontecido, numa missão de guarda-costas um Active é o perfeito disfarce e pode ser mais fiável que um guarda-costas. Faz tudo muito mais sentido se a missão da semana for bem escolhida.

espaço

Erros

Outra coisa que não posso deixar de reparar são as falhas que se notam com mais abundância do que o desejado por todo o episódio. Se já enumerei algumas inconsistências em The Target, essas relacionadas com a premissa e isso justifica-se porque é realmente uma premissa complexa e são buracos que podem ser tapados mais tarde, a enumeração continua aqui. Já falei na burrice de Paul e essa pode ser justificada pela burrice do personagem, mas a inutilidade de Sierra é uma coisa para a qual não há resposta.

espaço

A Dollhouse

Mudemos agora de cenário e passemos para a Dollhouse:

  • Boyd Langton (Harry Lennix) e Dr. Claire Saunders (Amy Acker)
    Primeiro pensei que só eu tinha reparado, mas depois vi que Topher pensou o mesmo que eu. Serão estes personagens um futuro casalinho?
  • Adelle DeWitt (Olivia Williams) e Laurence Dominic (Reed Diamond)
    Ele acha que Echo deve ser mandada para o “sotão” (mais um mistério para a colecção) porque a considera um risco e eles não conseguem controlá-la. Ela não concorda porque ela é a melhor Active que eles têm, assimilando as capacidades que lhe dão e usando-as a outro nível para benefício da missão. Resta saber se Echo fez aquilo para salvar Sierra ou para Rayna perceber que não quer morrer. Estou mais inclinado para a primeira.
  • Topher (Fran Kranz)
    Simplesmente não consegue ter piada!
  • “Friends help each other out
    A amizade entre Echo e Sierra está cada vez mais forte, mas, melhor ainda, parece que Echo está a começar a perceber que está em perigo se descobrirem que ela não é tão inocente como parece. Daí aquele aceno para Sierra se afastar no final do episódio, onde habitualmente há sempre algum acontecimento de relevo. Assim, juntamos isto ao gesto em The Target e ao homem nu em Ghost. Estará Echo a ganhar a sua própria personalidade?

espaço

Echo & Eliza

Falemos agora de Echo. Um dos maiores defeitos apontados à série é a falta de um personagem principal com o qual as pessoas se pessoal identificar e, consequentemente, afeiçoar. Outro deles é a falta de capacidade de Eliza como atriz. Quanto há primeira, tenho de concordar, o maior sentimento que conseguimos ter por Echo é pena, mas parece que isso vai mudar visto que tudo indica que ela ganhará um personalidade própria. Quanto à segunda, só digo isto: Eliza não é má actriz. Ela é convincente em todos os papeis que representa. É uma boa actriz. Ela representa, ela canta, ela dança. Agora, a verdade é que não consegue representar de modo muito diferente todos os papeis que interpreta, mas não sei se a culpa é dela porque também temos de ver que não lhe foram dados papeis muito diferentes. E também podemos colocar as culpas no Active. O Active pode mudar de personalidade, mas há coisas que nunca mudam: voz, cara. Para além disso, cada Active é apropriado a um certo tipo de missão, e Echo tem missões cujas personalidades são parecidas, visto que se adequam ao Active em si.

espaço

O episódio foi realizado por David Solomon e foi muito bem realizado. Os planos foram óptimos, as interpretações foram boas e tudo esteve no devido lugar. Houve cenas fabulosas e a montagem com a voz de Eliza foi o final perfeito. Este talentoso realializador fez mesmo o melhor que pôde com o argumento que lhe foi dado. E é claro que esta review não estaria completa se não falasse de Olvia Williams. É uma excelente actriz que domina todas as cenas em que entra. Carismática e boa intérprete até agora é a que mais se destaca do elenco da série.

Para concluir, este episódio foi um passo atrás em relação ao anterior. Apesar de muito bem realizado, foi impossível esconder as falhas do argumento. O género procedural do caso da semana pode não ser bem a área de Whedon, mas mesmo assim estava à espera de melhor. A série promete, mas até cumprir tenho medo que os próximos episódios sejam como este, ou pior. Não sendo pior que Ghost, não nos mostrou o mesmo ritmo e mistério que The Target.

Uma resposta a Review de “Stage Fright”

  1. Cláudia diz:

    Não sei porque as pessoas deitam este episódio abaixo tanto. Para mim, não é dos piores e é ainda muito interessante. A cena entre a Echo (ou Jordan aqui) e a Rayna é muito interessante em que Rayna fala de como não tem vida própria, sente-se como uma Doll às vezes e só quer que tudo acabe.
    Sim, é mais fraco que o The Target e até Ghost, mas está longe de ser o pior.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: